Governo zimbabweano confisca fazendas de agricultores brancos

Harare- Zimbabwe (PANA) -- O governo do Zimbabwe listou sexta- feira mais 68 fazendas de agricultores brancos para confisco obrigatório, no âmbito do seu controverso programa de reforma agrária.
Nos termos do programa, que teve início em 2000, milhares de agricultores brancos, que constituíam a base do sector agrícola zimbabweano, foram expulsos para reassentar camponeses sem terra.
Mas a seca, a falta de conhecimentos agrícolas e de capital, fez com que grande parte dos beneficiários do reassentamento recusasse as ofertas de terra, o que contribuiu para a actual crise alimentar no Zimbabwe.
Num aviso publicado sexta-feira, o Ministério da Agricultura listou as 68 fazendas, localizadas em todo o país, para aquisição obrigatória imediata.
Os actuais ocupantes têm 90 dias para suspenderem os seus trabalhos e abandonarem as propriedades.
Os camponeses não podem recorrer aos tribunais e apenas têm direito a uma indemnização pela infra-estrutura da fazenda e não pela terra.
O Zimbabwe defende que a sua ex-potência colonial (Grã-Bretanha) deve pagar as terras tal como foi acordado na altura da independência do país em 1980, uma responsabilidade negada por Londres.

10 Janeiro 2004 12:49:00


xhtml CSS