Governo sudanês aceita assinar protocolos sobre Darfur

Abuja- Nigéria (PANA) -- As negociações de paz para o Sudão em Abuja registaram um grande progresso com as partes a declararem a sua prontidão para assinar os protocolos humanitários e de segurança, afirmou terça-feira fonte da União Africana (UA) na capital nigeriana.
"Todas as partes concordaram agora em assinar os documentos" disse à PANA o porta-voz da UA, Niang Boubou.
   O governo sudanês recusou-se antes a assinar os protocolos, a 4 de Novembro, em protesto contra a cláusula sobre a zona de exclusão aérea no documento relativo à segurança.
Ibrahim Mohammed Ibrahim, um membro da delegação do governo sudanês, dissera na altura que cabia ao governo sudanês garantir a segurança em todo o país mas que com aquela disposição este não seria capaz de o fazer.
De acordo com as Nações Unidas, a delegação governamental também se opusera ao uso da palavra "Djandjawid" (no documento) para descrever a milícia pró-governo por ser conotada com a maioria dos casos de abusos dos direitos humanos na região, onde 20 meses de guerra mataram 70 mil pessoas e deslocaram 1.
6 milhão.
A PANA soube que, para descrever o grupo, a delegação do governo sudanês prefere a frase "milícia local ou étnica".
Aparentemente satisfeitos com os dois documentos, os rebeldes do Exército de Libertação do Sudão (ELS) e do Movimento pela Igualdade e Justiça abandonaram as suas primeiras objecções e concordaram em assinar os dois protocolos.
Com as questões humanitárias e de segurança resolvidas, espera-se que as negociações passem para os dois itens da agenda - as questões políticas e as sociais e económicas.

09 Novembro 2004 21:13:00




xhtml CSS