Governo queniano instado a pôr fim a medidas contra imprensa no país

Nairobi- Quénia (PANA) -- A Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) convidou o governo queniano a pôr fim à interdição de difusão em directo na rádio e televisão de reportagens sobre as manifestações pós-eleitorais, indica quarta-feira um comunicado desta organização de defesa da liberdade de imprensa a que a PANA teve acesso.
A FIJ declarou-se preocupada com a manutenção desta interdição uma vez que as violências pós-eleitorais diminuiram, estimando que esta medida, tomada a 30 de Dezembro último, constitui uma violação do direito fundamental dos quenianos a terem acesso às informações em tempo real sobre as violências que surgiram após a proclamação domingo último dos resultados oficiais do escrutínio presidencial de 27 de Dezembro último, vencido pelo Presidente cessante, Mwai Kibaki.
"Esta interdição não é um meio para resolver esta crise.
Convidamos o governo queniano a levantar imediatamente esta medida a fim de permitir aos jornalistas trabalharem em toda liberdade e segurança", declarou o director do gabinete da FIJ para África, Gabriel Baglo.
Por seu lado, o secretário-geral da Associação dos Jornalistas da África Oriental, Omar Faruk Osman, estimou que os "quenianos necessitam de uma informação rápida, independente e imparcial sobre este periodo crítico".

09 Janeiro 2008 23:01:00




xhtml CSS