Governo queniano impõe restrições à imprensa

Nairobi- Quénia (PANA) -- O Presidente queniano, Mwai Kibaki, ordenou um "blackout" total da imprensa devido à violência após o anúncio da sua vitória nas eleições presidenciais, declarando que todos os jornalistas seriam responsáveis da exacerbação das manifestações violentas.
No que parece ser uma partida falsa para a Presidência, o ministro da Segurança Interna, John Michuki, ordenou que todas as emissões em directo na rádio e na televisão sejam interrompidas.
O secretário para a Informação, Bitange Ndemo, declarou num comunicado que as difusões directas deviam cessar imediatamente no interesse da segurança nacional.
"Em conformidade com esta directiva e no interesse da segurança, exorto todos os órgãos de imprensa a cessar as transmissões em directo", declarou o secretário para a Informação.
Este anúncio paralisou as actividades da imprensa e as cinco principais cadeias de televisão foram obrigadas a cessar a transmissão das violências iniciadas na sequência do anúncio dos resultados.
O comunicado salientou que todos os órgãos de imprensa deviam parar de divulgar informações susceptíveis de agravar a crise política.
O principal partido da oposição no Quénia, o Movimento Democrático Laranja (ODM), que perdeu as eleições por uma margem de 230 mil votos, afirmou que os resultados iniciais mostravam que a Comissão Eleitoral do Quénia (ECK) aumentou os resultados em 300 mil votos a favor de Kibaki.
Raila Odinga, o candidato presidencial do ODM, declarou que vai rejeitar os resultados "de eleições fraudulentas".
Acrescentou que o seu partido desconfia dos tribunais para resolver esta crise política e preconizou uma solução política.
O blackout imposto à imprensa impediu a cobertura em directo da conferência do ODM.
Nos bastiões da oposição, manifestantes desafiaram as forças de segurança que patrulham nas ruas, gritando "ODM ! ODM!, Raila, Raila!".
Nos musseques de Nairobi, várias casas foram incendiadas enquanto as manifestações violentas aumentavam rapidamente de intensidade.

01 Janeiro 2008 11:30:00




xhtml CSS