Governo mauritano interpelado sobre situação prisional no país

Nouakchott, Mauritânia (PANA) – Dois deputados da oposição mauritana exprimiram a sua viva preocupação a propósito da situação geral e das condições de detenção na Mauritânia, soube a PANA terça-feira de fonte oficial.

Trata-se de  Mohamed Abderahmane Ould Moine da Coligação das Forças Democráticas (RFD) e Mustapha Ould Bedredine da União das Forças de Progresso (UFP), que interrogaram o ministro da Justiça, surqante uma sessão da Assembleia Nacional, de acordo com a fonte.  

Ao referirem-se a diferentes relatórios. nomeradamente da Amnistia Internacional, da Comissão Nacional dos Direitos Humanos e da Ordem Nacional dos Advogados, sobre o universo penitenciário no país, os deputados da oposição mauritana  denunciam « a sobrelotação » do principal centro de detenção e correção de Nouakchott.

Com uma capacidade inicialmente prevista para 300 prisioneiros, este centre «acolhe atualmente mil 250 reclusos » em  más condições sanitárias e alimentares, precisamente a falta de água potável,  de assistência médica, a detenção arbitrária, o insuficiente efetivo do pessoal penitenciário, a tortura contra reclusos, entre outros males, indignaram-se os dois parlamentares.

« Uma das consequências desta situação é o desenvolvimento de várias doenças respiratórias e contagiosas. Isto tudo mostra que as cadeias mauritanas não respondem às normas exigidas pela lei nacional e pela legislação internacional », afirmaram.

Desde há alguns anos, lembre-se, a Ordem Nacional dos Advogados (ONA) denuncia constantemente a situação  nas cadeias e "detenções  abusivas ».

-0- PANA SAS/TBM/FK//DD 31maio2011

31 Maio 2011 22:06:29


xhtml CSS