Gbagbo diz ter chegado tempo para eleições na Côte d'Ivoire

Abidjan- Côte d'Ivoire (PANA) -- O chefe de Estado ivoiriense, Laurent Gbagbo, declarou ter chegado a hora de criar todas as condições para a pacificação do país e realizar as eleições.
Gbagbo falava numa mensagem à nação conforme tinha prometido pouco depois da assinatura, domingo passado no Burkina Faso, de um acordo de paz com a rebelião das Forças Novas (FN) de Guilaume Soro.
"Velarei pela aplicação do acordo que assinámos e conto com cada um de vós para que nada comprometa os nossos esforços", disse, acrescentando: "É tempo de partirmos para o essencial, as eleições".
Para o Presidente ivoiriense, o acordo de Ouagadougou é o último acto que possa conduzir a bom porto o actual processo de paz, na medida em que "foi assinado em África, particularmente na terra burkinabe".
"Todo o mundo dá-se conta de que apesar dos esforços da comunidade internacional, a crise ivoiriense persiste.
Isto reforça a nossa convicção de que os conflitos em África podem encontrar soluções graças às iniciativas dos próprios Africanos", ressaltou.
Sobre as causas que o levaram a propor o diálogo directo com as Forças Novas, Gbagbo indicou que era "a única via possível para se chegar a uma saída verdadeira da crise, e o Acordo de Ouagadougou acaba de o confirmar".
"Este diálogo não carecia de nenhum intermediário, fez antes intervir um facilitador e não um mediador", sublinhou Gbagbo acrescentando que "o diálogo directo tem traduzido concretamente uma vontade do povo ivoiriense que a manifestava durante as jornadas de auscultação às camadas socioprofissionais e às regiões do país decorridas de 07 de Novembro a 17 de Dezembro passados".
A opção pelo diálogo directo justifica-se também, segundo ele, pelo facto de o conflito ivoiriense situar-se na 70ª posição na escala de gravidade das crises que a comunidade international deve resolver.
"É muito pouco dizer-se que o conflito na Côte d'Ivoire, tal como ocorre, não constitui uma prioridade para a comunidade internacional, e não retém a sua atenção como os conflitos no Iraque, na Palestina ou em Darfur", sustentou o Presidente ivoiriense.
Convidou os ivoirienses a apropriarem-se deste acordo insistindo, no entando, sobre o facto de que "não existe vitória de um campo sobre outro.
É a vitória de todo o povo ivoiriense".
Para evitar um fracasso do acordo de paz de Ouagadougou, considerado como a última esperança, Laurent Gbagbo pediu para todos os ivoirienses investirem no caminho da paz.
"Temos de implementar tudo para salvaguardar este acordo, o primeiro concluído por iniciativa dos ivoirienses, entre os ivoirienses, e para os ivoirienses", concluiu.

10 Março 2007 15:13:00




xhtml CSS