Garimpeiros de ouro acusados de colaborar com terroristas no nordeste da Mauritânia

Nouakchott, Mauritânia (PANA) – O Exército mauritano acusa alguns garimpeiros de ouro no nordeste do país, nas fronteiras com a Argélia e o Mali, de "colaborar com grupelhos terroristas", de acordo com uma "declaração-alerta" emitida quinta-feira em Nouakchott.

No documento, o Estado–Maior General do Exército condena "graves falhas por parte dos garimpeiros, que se encontram numa zona militar proibida, em companhia de estrangeiros armados".

Em conformidade com a sua missão de "proteger esta área para assegurar unidades militares ai desdobradas", o Estado-Maior anuncia "novas medidas militares e de segurança, que serão aplicadas literal e firmemente com vista a enfrentar estes grupelhos terroristas ".

As fronteiras entre a Mauritânia, a Argélia e o Mali são palco de movimentos terroristas e de quadrilhas especializadas em crimes transfronteiriços.

Por isso, o Exército fez deste espaço uma zona militar proibida há vários anos.

-0- PANA SAS/JSG/DIM/DD 29junho2018


29 Junho 2018 08:49:54


xhtml CSS