Gana condecora selecção de futebol

Accra- Gana (PANA) -- O governo do Gana concedeu segunda-feira a "Ordem do Volta", mais alta distinção nacional, aos 23 jogadores da selecção de futebol que disputaram o Campeonato do Mundo de 2006 na Alemanha.
A mesma distinção foi igualmente atribuída ao presidente da Federação Ganense de Futebol (GFA), Kwasi Nyatenkyi, enquanto o seleccionador sérvio Ratomir Dijkovoc, o seu assistente venezuelano Ali Kanyas e sete tecnocratas ganenses foram condecorados com a "Grande Medalha da Divisão Civil".
Os sete membros da equipa técnica dos "Estrelas Negras" do Gana receberam igualmente a "Grande Medalha da Divisão Civil".
O Presidente ganense John Agyekum Kufuor, que anunciou as distinções no Palácio Presidencial, disse que estas medalhas foram outorgadas em reconhecimento pelas contribuições e pelos sacríficios que os jogadores e a equipa técnica consentiram durante a sua preparação e participação no Campeonato do Mundo.
Kufuor exortou os futebolistas e a equipa técnica a continuar os seus sacríficios pelo Gana enquanto África se prepara para acolher a próxima edição do Mundial, prevista para 2010 na África do Sul.
O líder ganense exprimiu-se convencido de que o Gana e África têm a oportunidade de ganhar a Taça pela primeira vez no "solo natal quando a África do Sul acolherá o torneio em 2010".
Apelou aos ganenses a continuar a trabalhar em harmonia como o fizeram no seu apoio aos jogadores, acrescentando que a selecção nacional criou uma unidade de objectivo e de engajamento no país que deve ser preservada para favorecer o desenvolvimento e o progresso.
Em resposta, o capitão dos Estrelas Negras, Stephen Appiah, prometeu aos ganenses que trabalharão duro para se qualificar em 2010 na África do Sul a fim de continuar a partir de onde pararam na Alamenha 2006.
Reconheceu que a equipa era jovem e que se continuarem a trabalhar duro responderão às expectativas dos ganenses na África do Sul.
Antes de a equipa chegar ao Palácio, sede do governo, os futebolistas e e equipa técnica desfilaram durante duas horas pelas principais artérias de Tema e de Accra.
Em cada cruzamento, milhares de adeptos ganenses entusiastas juntavam-se ao desfile e tentavam apertar as mãos dos seus heróis.
O médio Michael Essien, sempre tímido diante da imprensa, declarou que o acolhimento ultrapassava a sua imaginação.
"Fomos lá (na Alemanha) para jogar por nós e por todos os ganenses e estamos felizes que os nossos esforços tenham sido amplamente apreciados mesmo se não conseguimos ganhar a Taça", disse.
O Gana foi eliminado nos oitavos-de-final do Mundial ao perder com o Brasil por 0-3.

04 Julho 2006 12:36:00




xhtml CSS