Gana concede $ 1 milhão para luta contra doenças tropicais negligenciadas

Accra, Gana (PANA) – O Gana anunciou uma contribuição de cerca de um milhão de dólares para o Programa de controlo e prevenção das doenças tropicais negligenciadas endémicas (DTNE) para proteger os seus ganhos em matéria de erradicação do verme de Guiné e e eliminação da tracoma.

O ministro ganense da Saúde, Albin Bagbin, fez o anúncio esta semana em Accra, na abertura duma reunião regional consultiva sobre as DTNE.

Bagbin exortou igualmente os países africanos a apoiarem as intervenções consagradas às DTNE e a melhorarem a coordenação entre as partes no quadro da implementação dos programas ligados essas doenças.

Segundo ele, os países endémicos devem explorar a nova dinâmica impressa pela comunidade internacional para combater as DTNE, contribuindo para a melhoria e a extensão da cobertura nacional das atividades de controlo e eliminação.

O ministro ressaltou que, nos últimos tempos, houve uma alta fenomenal em termos de sensibilização e de conscientização sobre as DTNE, como também um apoio acrescido para a realização do programa.

Todavia, para ele, esta dinâmica deve ser apoiada por uma apropriação destas campanhas por partes dos países interessados.

Bagbin homenageou em seguida a diretora-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Margaret Chan, e o diretor regional da OMS para África, Luís Sambo, por terem evidenciado o laço existente entre as DTNE e a pobreza e o subdesenvolvimento da região.

No seu discurso, Sambo, representado pelo representante da OMS no Gana, Idrissa Sow, indicou que a estimativa atual dos recursos financeiros necessários à execução do programa DTNE para os próximos cinco anos na região África é de cerca um bilião e meio de dólares americanos.

"Isto exige novos compromissos e a realização das promessas feitas na reunião de Londres pelas partes", estimou

"Os países devem comprometer-se a observar a transparência e a partilha de informação na gestão do programa, velar pela apropriação dos programas e comprometer-se a acelerar as intervenções", acrescentou.

Para o diretor regional, a dinâmica de eliminação e controlo das DTNE visadas acentuou a necessidade duma liderança forte e duma melhor coordenação, sublinhando que a OMS  respondeu definindo quatro áreas estratégicas.

Trata-se de reforçar a coordenação e a apropriação pelo Governo, a sensibilização e a parceira, melhorar a planificação de resultados, a mobilização dos recursos e a viabilidade financeira dos programas nacionais; reforçar o acesso às intervenções, ao tratamento e às capacidades de prestação de serviço; e reforçar o controlo, a vigilância e a pesquisa operacional.

Relativamente ao papel desempenhado pelos parceiros e outras partes na luta contra as DTNE, Sambo agradeceu aos doadores, às Organizações não Governamentais e às firmas farmacêuticas pelas suas contribuições e compromissos a favor da redução do peso das DTNE na região africana.

"O compromisso de todos os países, peritos e comunidade de pesquisadores com vista ao controlo e à eliminação das DTNE não pode ser menosprezado. Graças a um tal compromisso e um apoio maciço da parte dos interessados, estamos prontos a fazer das DTNE uma velha lembrança na região africana", acrescentou Sambo.

Prometeu o compromisso da OMS de reforçar as plataformas e criar um ambiente favorável à aceleração da implementação dos programas DTNE na região e incentivou a reunião a propor novas ideias para o reforço da aplicação dos programas DTNE.

-0- PANA SEG/NFB/JSG/CJB/IZ 28junho2012

28 Junho 2012 15:26:09


xhtml CSS