Frente Popular Ivoiriense desmente participação em Governo na Côte d'Ivoire

Abidjan, Côte d'Ivoire (PANA) - A Frente Popular Ivoiriense (FPI), principal partido da oposição na Côte d'Ivoire, desmentiu, terça-feira, a informação publicada pelo "Le Quotidien d'Abidjan" relativa à entrega duma lista de quadros para a sua participação num novo Governo.

Segundo um comunicado assinado pela secretária-geral e porta-voz do FPI, Agnès Monnet, o "presidente da FPI rejeita estas alegações mentirosas, caluniosas e difamatórias".

"A Frente Popular Ivoiriense nunca foi contactada para participar num Governo e não apresentou uma lista neste sentido", precisa o comunicado.

Na sua edição desta terça-feira, o "Le Quotidien d'Abidjan" cujo promotor, Stéphane Kipré, é  genro do antigo Presidente Laurent Gbagbo, noticiou, para salientar as supostas traição e  colusão do presidente do FPI, Pascal Affi N'Guessan, com o regime do Presidente Alassane Ouattara que ele depositou segunda-feira uma lista de quadros para participar num novo Governo cuja formação seria iminente.

A guerra de clãs entre pro-Affi e pro-Gbagbo para o controlo do partido ultrapassou o domínio mediático depois da vertente judicial, onde o atual líder da FPI está a ganhar depois de a justiça anular a candidatura de Laurent Gbagbo à liderança do ex-partido no poder.

Esta decisão judicial foi a segunda vitória de Affi N'Guessan depois de obter, a 9 de dezembro último, o adiamento sine die pela justiça do quarto congresso ordinário da FPI inicialmente previsto para 11 a 14 de dezembro passado.

Laurent Gbagbo está detido desde novembro de 2011 no Tribunal Penal Internacional (TPI) em Haia, nos Países Baixos, por alegados crimes contra a humanidade cometidos durante o período pós-eleitoral no seu país entre 2010 e 2011.

-0- PANA BAL/IS/MAR/TON 06janeiro2015

06 Janeiro 2015 18:23:15


xhtml CSS