Francófonos consideram educação "direito fundamental para todos os jovens"

Dakar , Senegal (PANA) – A educação é um direito fundamental para todos os jovens e a sua qualidade depende de professoras e professores qualificados, formados e remunerados decentemente.

Esta posição foi defendida pelo Comité Sindical Francófono da Educação e Formação (CSFEF) no encerramento da sua XIV reunião quinta-feira à tarde em Dakar, no Senegal.

O encontro de três dias, ao adotar uma “declaração final”, instou os participantes na XV  cimeira da Organização Internacional da Francofonia (OIF), a ter lugar em Dakar brevemente, a “assumirem compromissos audaciosos para a educação em prol da paz e do desenvolvimento”.

« Nós consideramos que este desafio não é uma utopia e que é possível financiar uma educação pública de qualidade para todos », acrescentaram os  participantes neste encontro, avaliados em cinquenta elementos provenientes de vários países francófonos de África, do Canadá, de França e da Suíça, entre outros.

Instaram os Estados francófonos a incluírem, nos programas escolares, a cultura da paz e da citadania, apoiando ao mesmo tempo iniciativas da sociedade civil.

Desejam igualmente o reforço, em todos os países francófonos, da qualidade do ensino da língua francesa e a promoção das línguas nacionais como interface do ensino.

Nas suas recomendações, o encontro sugere aos países francófonos para  « colocarem a escola ao abrigo das religiões e fazer respeitar o caráter laico dos estabelecimentos escolares ».

Pediram às instituições internacionais para cessarem de impor políticas contrárias ao objetivo da "educação para todos", nomeadamente ao preconizar a privatização.

Do seu lado, os sindicalistas comprometeram-se, entre outros, a realizar a paridade mulheres-homens nas suas instâncias dirigentes e trabalhar para que o francês seja "verdadeiramente" utilizado no seio das organizações sindicais internacionais.

Criado em 1987, o CSFEF agrupa organizações sindicais e profissionais de ensino de 26 países-membros da OIF com o fito de consagrar a educação como elemento prioritário e afirmar o compromisso de lutar pelos direitos humanos, por uma melhor qualidade da formação e da "educação para todos e contra todas as desigualdades.

-0- PANA AAS/BEH/FK/DD 24out2014

24 Outubro 2014 13:00:43


xhtml CSS