Francofonia levanta suspensão da Mauritânia

Paris- França (PANA) -- A Organização Internacional da Francofonia (OIF) decidiu segunda-feira em Paris levantar a medida de suspensão tomada contra a Mauritânia, considerando que o país voltou à ordem constitucional depois do escrutínio presidencial de 18 de Julho último.
Numa resolução adoptada no termo da 74ª sessão do seu Conselho Permanente (CPF), a OIF afirma que as eleições presidenciais vencidas pelo Presidente Mohamed Ould Abdel Aziz decorreram em "condições satisfatórias".
O CPF, que agrupa os representantes dos chefes de Estado dos países membros da OIF, insta igualmente o secretário-geral da organização francófona, Abdou Diouf, a apoiar o processo de reconciliação nacional e a construção do Estado de Direito na Mauritânia.
Pelo contrário, a 74ª sessão do CPF manteve a suspensão da Guiné- Conakry e de Madagáscar.
Ela exortou o secretário-geral da OIF a apresentar-lhe dentro dos próximos 60 dias um relatório sobre a situação política no Níger, onde a oposição continua a contestar o referendo organizado em Agosto passado pelo Presidente Mamadou Tanja para adopar uma nova Constituição que prolonga por três anos o seu mandato actual que expira em finais de Dezembro.
Abordando o caso da Guiné-Conakry, os representantes dos chefes de Estado decidiram reforçar as medidas de suspensão do país ao apoiar a mediação confiada pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) ao Presidente burkinabe, Blaise Compaoré.
A OIF pronunciou a suspensão da Mauritânia depois do golpe de Estado militar perpetrado em Agosto de 2008 por uma Junta dirigida pelo general Ould Abdel Aziz.
A organização francófona fez o mesmo para a Guiné-Conakry depois da tomada do poder por uma Junta militar na sequência da morte, em Dezembro de 2008, do Presidente Lansana Conté.
Madagáscar foi, por seu turno, excluído das fileiras da OIF depois da evicção de Marc Ravalomanana do poder por Andry Rajoelina, apoiado pelo Exército.

15 Dezembro 2009 12:54:00




xhtml CSS