Francofonia envia forças ao Haiti

Praia- Cabo Verde (PANA) -- A Organização Internacional da Francofonia (OIF) vai pedir aos Estados membros o envio de contingentes ao Haiti, no quadro da nova força das Nações Unidas que substitui a actual força multinacional a 1 de Junho, apurou a PANA na cidade da Praia.
Este anúncio foi feito quarta-feira, na cidade da Praia, pelo antigo Presidente de Cabo Verde, António Mascarenhas Monteiro, que esteve recentemente no Haiti como enviado especial do secretário-geral da OIF, Abdou Diouf.
Monteiro confirmou que a organização "apoia plenamente" as novas autoridades haitianas e que estava a avaliar as necessidades do país e dos sectores que a OIF poderá ajudar, sobretudo no que diz respeito ao restabelecimento do Estado de Direito e Democrático.
A esse respeito, Mascarenhas Monteiro salientou que o pedido das autoridades haitianas incidia sobre a supervisão dos três actos eleitorais do próximo ano, designadamente as eleições municipais, as legislativas e as presidenciais.
Neste capítulo, ele sublinhou que seria preciso elaborar textos, formar pessoal, observar eleições.
As autoridades haitianas não excluem a hipótese da Francofonia supervisionar as eleições, precisou.
O antigo chefe de Estado cabo-verdiano disse ainda que as novas autoridades de Port-au-Prince pediram igualmente o apoio da OIF no domínio do reforço das instituições, sobretudo das judiciais, e no domínio da promoção e protecção dos direitos do homem.
A delegação da francofonia que no passado fim-de-semana esteve em Port-au-Prince integrava ainda o senador Jacques Legendre da França, o secretário-geral da Assembleia Parlamentar da Francofonia, Yvan Bordeleau, e um representante pessoal do Presidente libanês, Emile Lahoud.

22 Abril 2004 17:19:00




xhtml CSS