Francesa Audrey Azoulay nomeada diretora-geral da UNESCO

Paris, França (PANA) – A Francesa Audrey Azoulay acaba de ser nomeada diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), em substituição de Irina Bokova, soube-se de fonte oficial em Paris.

A nomeação será submetida à votação da Conferência Geral que reunirá a 10 de novembro próximo os195 Estados-membros da UNESCO, indica um comunicado da UNESCO.

O presidente do Conselho de Administração, Michael Worbs (Alemanha), anunciou o resultado de cinco voltas de escrutínio que se iniciaram a 9 de outubro corrente.

« A vossa experiência enquanto ministra e para outros postos nacionais e internacionais dá-lhe a perícia, a competência e o conhecimento profundo de que você precisa se for confirmada na direção suprema da nossa organização",  disse Worbs a Azoulay que se torna na diretora-geral da UNESCO.

, enquanto os Estados UNidos e Israel significaram que eles se retiraram da organização cultural da ONU.

Nascida em 1972, Azoulay foi ministra da Cultura de França de fevereiro de 2016 a maio de 2017.

Ela iniciou a sua carreira nos escritórios encarregues de apoiar a radiodifusão pública em França e foi relatora do Tribunal de Contas e perita jurídica da Comissão Europeia nos domínios da cultura e comunicação.

Ocupou sucessivamente as funções de diretora adjunta dos Assuntos Multimedia, diretora financeira e jurídica e diretora-geral adjunta do Centro Nacional da Cinematografia (CNC).

Diplomada pela Escola Nacional de Administração de França, Azoulay é titular dum mestrado em administração de negócios da Universidade de Lancaster (Reino Unido) e dum diploma em ciências políticas do Instituto de Estudos Políticos de França.

Os Estados-membros da UNESCO tinham apresentado nove candidatos, designadamente Polad Bülbüloglu (Azerbaijão), Qian Tang (China), Moushira Khattab (Egito), Audrey Azoulay (França), Juan Alfonso Fuentes Soria (Guatemala), Saleh Al-Hasnawi (Iraque), Vera El-Khoury Lacoeuilhe (Líbano), Hamad Bin Abdulaziz Al-Kawari (Qatar) e Pham Sanh Chau (Vietname).

Porém, os Estados Unidos e Israel declararam, quinta-feira última sair da UNESCO.

-0- PANA MA/MTA/JSG/SOC/FK/DD 16out2017

16 Outubro 2017 12:50:00


xhtml CSS