França saúda memória de Papa Wemba

Paris, França (PANA) – O Ministério francês dos Negócios Estrangeiros saudou segunda-feira a memória do cantor de rumba congolês, Papa Wemba, falecido domingo 24 de abril depois dum mal-estar em pleno concerto musical em Abidjan, na Côte d'Ivoire.

« Papa Wemba marcou a história da cultura congolesa reinventando a rumba, tornando-a, um fenómeno artístico e músical universal. Com a criação da Sociedade dos Animadores e Pessoas Elegantes (SAPE), ele constituiu igualmente um fenómeno social maior “, declarou o porta-voz desta instituição francesa (Quai de Orsay) durante um briefing com a imprensa  segunda-feira.

Papa Wemba, alcunha de Jules Shungu Wembadio Pene Kikumba, nascido a 14 de junho de 1949 em Lubufe, na República Democrática do Congo (RDC), ex-Congo belga, foi um cantor, autor-compositor considerado como uma das lendas da música africana e congolesa.

A sua longa e rica carreira músical, iniciada em 1969 com a criação da famosa orquestra Zaiko Langa Langa até à sua morte a 24 de abril de 2016, é marcada não só por uma discografia abundante de álbuns, mas igualmente por colaborações com grandes estrelas mundiais, entre os quais o seu compatriota Tabu Ley (Rochereau), Peter Gabriel (Inglaterra), Manu Dibango (Camarões) ou Aretha Franklin (Estados Unidos).

Além da música, Papa Wemba ilustrou-se igualmente no cinema com o filme « A Vida É linda »  saído em 1987 de que é o principal ator tendo igualmente aparecido em outros filmes como "Combates dos Felinos » em 1997 e "Kinshasa Kids" em 2012.

-0- PANA BM/TBM/SOC/MAR/DD 26abril2016

26 Abril 2016 12:13:09


xhtml CSS