França responsabiliza milícias anti-Balaka pelas violências em Bangui

Paris, França (PANA) – A França acusou, terça-feira, abertamente as milícias anti-Balaka (cristãos) de serem «numa larga medida» responsáveis pelas violências ocorridas sábado e domingo últimos em Bangui, a capital centroafricana, e que fizeram 20 mortos.

«A França lamenta as violências de 29 e 30 de março último em Bangui, e imputa uma grande parte de responsabilidade às milícias anti-Balaka», disse, terça-feira, o porta-voz do Quai d’Orsay (Ministério francês dos Negócios Estrangeiros) pedindo ao mesmo tempo que um inquérito seja aberto sobre estas violências.

Sábado último, uma caravana de soldados da paz da Missão Internacional de Apoio à República Centroafricana sob a direção Africana (MISCA), constituído por militares tchadianos, que regressava ao seu Quartel-Geral com armas apreendidas de grupos de milicianos, caiu numa emboscada montada por homens armados não identificados em PK12, no subúrbio de Bangui.

Os assaltantes feriram dois elementos do contingente tchadiano da MISCA, que ripostou em legítima defesa e disto resultou a morte de 24 pessoas e o ferimento de 20 outras.


A França recordou que não haverá impunidade para os que cometam exações, reafirmando o seu apoio à MISCA no cumprimento do seu mandato de proteção das populações civis, em aplicação da resolução 2127 do Conselho de Segurança das Nações Unidas e com o apoio da operação francesa Sangaris.

-0- PANA BM/IS/CJB/DD 02abril2014

02 Abril 2014 08:39:53




xhtml CSS