França justifica anulação de rali Dakar por ameaças terroristas

Paris- França (PANA) – O ministro francês dos Negó-cios Estrangeiros, Bernard Kouchner, justificou sexta-feira a anulação da 30ª edição do rali Dakar pela existência de riscos de atentados terroristas na Mauritânia, uma etapa importante da competição automóvel que deveria partir este sábado de Lisboa, a capital de Portugal.
"Persuadimos os organizadores de que é perigoso.
Trata-se duma região insegura com redes do Al Qaida (grupo internacional de terrorismo) no Magrebe", declarou o chefe da diplomacia francesa à imprensa.
Ele assegurou que os serviços franceses mencionaram outros incidentes além do ataque mortal contra uma família de turistas franceses e dum outro contra uma caserna do exército mauritaniana.
"Aconteceu connosco este incidente mortal que dizimou esta família.
Queremos prevenir porque ainda persistem outros riscos de acordo os nossos serviços", revelou Kouchner.
Antes da sua intervençao, Laurent Vauquier, porta-voz do governo francês, tinha vivamente desaconselhado todos os franceses de se deslocarem à Mauritânia até à nova ordem.
"Este advertimento vale para todos os franceses bem como para a organização de Lisboa-Dakar.
O assunto tinha constado da agenda dum conselho de ministros da quinta-feira última presidido pelo chefe do Estado francês Nicolas Sarkozy", deu a conhecer Vauquier.
Após uma noite de reflexão, a Aumory Sport Organisation (sociedade organizadora da competição) anunciou sexta-feira de manha a anulação da edição 2008 do rali Lisboa-Dakar.
"Quando o Estado francês, a um nível tão elevado, vos previne e vos desaconselha de manter a competição, não podeis fazer ouvidos de mercador", estimou Patrice Clerc, presidente da ASO.
Cerca de 245 motorizadas, 205 viaturas e 100 camiões deviam partir de Lisboa para chegar a 20 de Janeiro nos arredores do Lagos Rosa, no subúrbio de Dakar, a capital do Senegal.
De acordo coms os seus organizadores, esta edição 2008 ia consagrar a internacionalização da competição automóvel com 70 por cento dos estrangeiros e apenas 30 por centos dos concorentes franceses.
Desde o seu lançamento em 1978, é pela primeira vez que uma edição de rali Dakar é pura e simplemente cancelada, sublinha-se.
Em 2000 e 2006, as etapas do Níger e do Mali tinham sido evitadas pelas mesmas razões.

05 Janeiro 2008 13:20:00


xhtml CSS