França e UNESCO condenam racismo no desporto

Paris, França (PANA) - A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, e a ministra francesa dos Desportos, Laura Flessel, condenaram vivamente as injúrias racistas que mancharam no fim de semana o mundo do futebol.

"O racismo não tem o seu lugar no desporto, no campo ou fora dele. Condenamos com a maior firmeza as injúrias racistas de que foi vítima Blaise Matuidi, jogador do Juventus de Turin e da equipa de França.

"Condenamos todos os atos racistas que perturbam diariamente muitas manifestações desportivas no mundo. O desporto deve ser um vetor de vitória, de compreensão mútua e de tolerância. Nada justifica o seu desvio para atiçar o ódio, a discriminação e a rejeição", refere um comunicado conjunto distribuído segunda-feira, em Paris.

França e a UNESCO lembraram o seu engajamento para manter vivos os valores da tolerância pelo desporto e no desporto.

França diz estar ativamente engajada na Conferência Mundial dos Ministros do Desporto (MINEPS) organizada pela UNESCO.

Pretende também desempenhar um papel de liderança no quadro do Plano de Ação adotado durante a última Conferência MINEPS VI, para reforçar as políticas de educação pelo desporto, a luta contra a dopagem e a transmissão dos valores de respeito, com vista igualmente à organização dos Jogos Olímpicos em França, em 2024.

"Não se nasce racista, torna-se. O desporto e o futebol, que são seguidos com paixão por milhões de pessoas, existem para transmitir o melhor de nós próprios e devem ensinar a tolerância e o respeito. Apelamos a todos os responsáveis políticos e desportivos, a todos os níveis, para unir as suas forças para esta grande causa", sublinha nota.

-0- PANA AR/MA/NFB/JSG/MAR/IZ 09jan2018

09 يناير 2018 18:43:51




xhtml CSS