França apoia projecto da cantora sul-africana Miriam Makeba

Paris- França (PANA) -- França vai ajudar a lendária cantora sul-africana Miriam Makeba a abrir no seu país centros de acolhimento e de assistência para as mulheres vítimas de violência, declarou no fim-de-semana em Paris a vice-ministra francesa para a Coesão Social e Paridade, Catherine Vautrin.
"A nossa Embaixada em Pretória (capital da África do Sul) tomou as disposições úteis para dar o seu apoio à abertura e ao êxito destes centros", declarou a governante francesa, estimando que estes centros permitirão às mulheres vítimas de violências encontrar "o acolhimento e a atenção necessários".
Intervindo durante um colóquio sobre o 50º aniversário da Marcha de Libertação das Sul-Africanas, Vautrin garantiu que o seu país está disposto a partilhar com a África do Sul a sua experiência em matéria de luta contra a violência praticada contra as mulheres.
"A mulheres que são obrigadas a abandonar temporariamente o seu trabalho devido à violência devem poder continuar a beneficiar de assistência", afirmou.
"Tomámos várias iniciativas desta natureza que podem ajudar a causa das mulheres noutros países nomeadamente na África do Sul", acrescentou Vautrin, revelando que em França uma mulher morre cada quatro dias devido a violências conjugais.
Ela deplorou o número alarmante dos casos de violações na África do Sul, desejando que os centros a serem abertos por Miriam Makeba dêem uma atenção particular às mulheres vítimas de violência.
Após cerca de 30 anos de exílio em Conakry (Guiné) e em Abidjan (Côte d'Ivoire), Miriam Makeba, regressou em 1990 ao seu país para continuar o seu combate contra as desigualdades sociais e a violência.
Ela anunciou em 2005, aos 73 anos de idade, a sua reforma musical, prometendo todavia continuar a bater-se pelas "causas justas".

13 Novembro 2006 14:35:00


xhtml CSS