Forças vivas preocupadas com situação na Guiné-Conakry

Conakry- Guiné-Conakry (PANA) -- O fórum das forças vivas da Guiné- Conakry declarou-se sábado "gravemente preocupado" com a situação prevalecente no país, depois da tentativa de assassinado perpetrada quinta-feira contra o capitão Moussa Dadis Camara, presidente do Conselho Nacional para a Democracia e Desenvolvimento (CNDD) no poder desde Dezembro de 2008.
Num comunicado transmitido à PANA, o fórum condena "estas violências que perpetuam a insegurança e atrasam o processo iniciajado para uma nova transição".
Neste contexto marcado pelas incertezas sobre a capacidade do CNDD de controlar a evolução da segurança da Guiné-Conakry, ele reafirma a imperiosa necessidade da partida do poder do CNDD e do seu Governo e a instauração duma nova autoridade de transição, em conformidade com as resoluções da oitava sessão do Grupo Internacional de Contacto sobre a Guiné e a Conferência dos Chefes de Estado da CEDEAO realizada em Abuja de 12 e 17 de Outubro de 2009.
A nova autoridade de transição, que será constituída com base num consenso largo com as representações das forças vivas do país, das forças de defesa e de segurança, será a fiadora da manutenção da estabilidade e da paz na Guiné-Conakry, defendeu.
Neste sentido, o fórum das forças vivas insta a Comissão da CEDEAO a intervir rapidamente e ajudar a fazer evoluir positivamente a situação política.
O fórum das forças vivas insiste na necessidade de se elucidar os massacres de 28 de Setembro de 2009, reafirmando o seu apoio à Comissão de Inquérito Internacional das Nações Unidas da qual espera as conclusões com muito interesse.
Ele reitera o seu apelo ao povo da Guiné-Conakry a permanecer mobilizado e resoluto, "nestas horas graves da sua história", para o advento da paz, da concórdia nacional e duma verdadeira democracia.

06 Dezembro 2009 18:40:00


xhtml CSS