Fim de greve de trabalhadores de indústrias e minas na Mauritânia

Nouakchott, Mauritânia (PANA) - A Federação das Indústrias e Minas (FIM), um desmembramento da União Nacional do Patronato da Mauritânia (UNPM), declarou sexta-feira última o fim da greve lançada a 28 de janeiro último.

Numa declaração no final da greve, a que aderiram dois mil trabalhadores da Sociedade Nacional Indústrial Mineira (SNIM), a maior empresa do país, a FIM exige o cumprimento de um compromisso assumido pela UNPM relativo a um aumento de salário e a outros benefícios.

A  FIM deplora "promessas que não servem os interesses profissionais dos empregados nem  os do país" sublinhando ser  "necessário e urgente para se pôr fim de imediato a este  movimento de protesto, bem como ao egoísmo com vista a uma verdadeira solidariedade entre a sociedade gestora, os sindicatos e os trabalhadores".

Lembra a situação da conjuntura  mundial "desfavorável" marcada pela queda dos preços do minério de ferro e a importância da SNIM para o equilíbrio económico e social da Mauritânia e sua contribuição substancial para o Produto Interno Bruto (PIB), o orçamento de Estado e ganhos, além de seis mil postos de trabalho permanentes.

Nos últimos cinco anos, indica-se, as receitas mineiras representaram o terço do orçamento do Estado mauritano.

-0- PANA SAS/DIM/DD 20fev2015

21 Fevereiro 2015 12:48:16


xhtml CSS