Fim de greve de docentes na Gâmbia

Banjul, Gâmbia (PANA) – O braço-de-ferro terminou entre o Ministério gambiano da Educação Básica e Secundária (MoBSE) e docentes, que suscitou uma greve de uma semana, anuncia um comunicado comum transmitido à PANA esta terça-feira em Banjul.

O documento foi assinado pelo presidente do « Teachers for Change » (Docente da Mudança), Bubacarr Janko, pelo secretário-geral deste ministério, Muhammed B.S. Jallow, e pelo presidente da União dos Professores Gambianos, Martin Gomez.

Vários milhares de professores gambianos decretaram segunda-feira última uma greve para reclamar por melhores salários, e isto pela primeira vez há mais de três décadas.

Os grevistas reclamavam, entre outros, por aumentos de salário de 100 porcento.

O salário básico do docente qualificado do primário é de dois mil 350 dalasis, ou seja quase 50 dólares americanos, "demasiado pouco" para os professores.

Nenhum professor será objeto de represália devido à sua implicação na greve, segundo o acordo que põe termo ao movimento.

O  comunicado de imprensa inque que o ministério fará o seu possível para satisfazer estes desideratos até, o mais tardar, em outubro próximo.

O  ministério acrescentou que nenhum professor estagiário será transferido para uma zona recôndita exceto se for voluntária.

O pedido de aumento salarial será estudado em tempo oportuno devido aos desafios económicos que o país deve ultrapassar.

-0- PANA MSS/MA/FJG/JSG/IBA/FK/DD 13fev2018

13 Fevereiro 2018 12:59:24


xhtml CSS