Fim da terceira operação da Força Conjunta do G5 Sahel

Bamako, Mali (PANA) – A terceira operação da Força Conjunta do G5 Sahel (FC-G5S) denominada “Irgo Ka" (Chegamos), dialeto Djerma, uma etnia do Níger, terminou no início de junho corrente, soube-se esta quinta-feira de fonte oficial em Mopti, no centro do Mali.

Esta operação levada a cabo pela FC-G5S de 15 de maio a 2 de junho de 2018, em mais de 600 quilómetros ao longo da fronteira entre o Burkina Faso, o Mali e o Níger, tinha por objetivo marcar cada vez mais a sua presença junto das populações, de acordo com o Posto de Comando Interrarmas de Teatro (PCIAT), baseado em Sevaré, na província de Mopti.

A FC-G5S tranquilizava estas populações, protegendo-as contra ataques de grupos armados terroristas e de outros criminosos organizados, explicou a mesma fonte.

O comandante desta missão, o general maliano Didier Dacko, frisou que o modo operatório consistiu em desdobrar tropas burkinabes e nigerinas da FC-F5S ao longo das fronteiras comuns para controlar todas as zonas suspeitas, localizar e destruir eventuais paióis de armas e impedir qualquer movimento de terroristas, com a colaboração das populações.

Elementos desta Força realizaram também ações humanitárias que consistem nomeadamente na assistência alimentar e médico-medicamentosa a pessoas necessitantes, e em doações de  materiais escolares, indicou o general Dacko.

O G5 Sahel, que agrupa o Burkina Faso, o Mali, a Mauritânia, o Níger e o Tchad, foi criado em 2015 com o objetivo de lutar contra o terrorismo e outras formas de banditismo na faixa sahelo-sariana e promover o desenvolvimento nesta zona quase desértica.

A organização criou uma força conjunta para o efeito, composta por cinco mil homens, ou seja, mil elementos por país, que será operacional nos próximos meses.

-0- PANA GT/JSG/FK/DD  21junho2018

21 Junho 2018 14:39:31


xhtml CSS