FIJ pede inquérito sobre agressão de jornalista congolês

Dakar- Senegal (PANA) -- A Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) apelou para a abertura dum inquérito sobre a "violenta" agressão do jornalista congolês Giscard Mahoungou, indica um comunicado da organização entregue quinta-feira à PANA.
A 8 de Setembro, Giscard Mahoungou, jornalista da cadeia privada Digital Rádio Televisão (DRTV), foi agredido na Universidade Marien Ngouabi na capital congolesa, Brazzaville, quando cobria uma manifestação de estudantes.
"Condenamos esta violenta agressão, que parece ser uma represália contra a imprensa que cobre a violência policial", declarou Gabriel Baglo, director do Gabinete da FIJ para África, sediado em Dakar, no Senegal.
"O Governo congolês deveria levar a cabo um inquérito independente sobre este ataque contra Giscard para saber porque ele foi visado e se os polícias tentavam esconder as suas actividades à imprensa e ao público", disse Baglo.
A FIJ exortou igualmente a direcção da Polícia congolesa a tomar medidas disciplinares contra os polícias implicados nesta agressão.
"A direcção da Polícia deve garantir que os polícias não podem agredir impunemente jornalistas no exercício das suas funções e que qualquer agente que o fizer deverá enfrentar graves consequências", frisou Baglo.
O director do Gabinete da FIJ para África afirmou que se a direcção da Polícia não o fizer "tememos que este tipo de agressão volte a acontecer".

19 Setembro 2008 10:44:00




xhtml CSS