FIFA aumenta prémio para clubes com jogadores no Mundial de 2018 na Rússia

Zurique, Suíça (PANA) – A Federação Internacional de Futebol (FIFA) aumentou os prémios  para os clubes fornecedores de jogadores às equipas nacionais participantes no próximo Mundial na Rússia, elevando-os para oito mil e 500 dólares americanos por jogador e por dia.

Uma carta que precisa as modalidades de pagamentos destes prémios, assinada pela secretária-geral da FIFA, Fatma Samoura, foi distribuída às Federações nacionais de Futebol.

Segundo esta carta, o pagamento dos prémios tomará efeito a partir de 1 de junho próximo, ou seja, duas semanas antes da abertura do torneio entre a Rússia e a Arábia Saudita, e terminará com a eliminação da equipa.

O pagamento deste prémio envolverá todos os clubes no seio dos quais o jogador atuou durante os dois anos que precedem  a competição.

O montante diário bruto do prémio pode ser submetido a impostos e deduções.

Esta  decisão deverá custar à FIFA, que perdeu recursos devido a escândalos que marcaram o fim da era Blatter, a soma de 209 milhões de dólares americanos, ou seja, três vezes os 70 milhões de dólares americanos distribuídos para o Mundial de 2014, no Brasil, e cinco vezes os 40 milhões de dólares americanos concedidos após a competição de 2010, na África do Sul.

A decisão relativa ao aumento dos prémios foi assinada em 2015, no quadro duma extensão dum acordo de colaboração entre a FIFA e a Associação dos Clubes Europeus (ECA, sigla em inglês).

Os clubes europeus, que empregam a maioria dos jogadores, serão os principais beneficiários destes prémios.

Em 2014, o Bayern de Munique, primeiro clube da Alemanha campeã do mundo, foi o maior beneficiário, com um milhão 734 mil 367 dólares americanos, ou seja, mais de 400 mil dólares americanos a mais do que o Real Madrid (segundo).

No total, 396 clubes filiados em 57 federações nacionais receberam uma parte dos benefícios contra 400 clubes de 55 federações, em 2010.

O orçamento original da FIFA para 2015-2018, publicado no seu relatório financeiro de 2013, previa igualmente 120 milhões de dólares americanos para os pagamentos do Programa de Proteção do Clube (PPC) aos clubes dos jogadores feridos de serviço internacional.

O aumento dos pagamentos reflete a forma como os clubes europeus gigantes venceram a luta perpétua entre clubes contra países nos últimos dias.

-0- PANA VAO/MA/MTA/JSG/FK/DD/IZ 7dez2017

06 Dezembro 2017 17:56:36




xhtml CSS