FAO apoia horticultura em São Tomé e Príncipe

São Tomé, São Tomé e Príncipe (PANA) - O Fundo das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) concedeu a São Tomé e Príncipe 600 mil euros com vista a apoiar a horticultura na região periurbana do arquipélago, soube-se quarta-feira de fonte oficial na capital santomense.

O ministro santomense da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural, António Dias, disse que os fundos serão investidos no distrito de Lobata (zona norte) e na região autônoma do Príncipe, ondem existe escassez de produtos hortícolas.

Ele afirmou que este financiamento vai permitir ao país mitigar a pobreza e reduzir o desemprego por parte dos jovens, acrescentando que a execução deste projeto vai começar em setembro.

"Temos vindo a desenvolver uma política de aproximação da juventude rural para as terras e muitos jovens têm estado a aderir a esta campanha", sublinhou.

António Dias, que falava depois da assinatura do acordo com a FAO, afirmou que as ilhas dispõem de terras que podem ser uma fonte de renda para muitas famílias.

Ele disse que através da União Europeia (UE) foram garantidos sete milhões de euros para o período 2015-2020 com vista a impulsionar o setor agrícola no arquipélago.

O ministro santomense da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural anunciou que com o Brasil está a ser negociado um financiamento de 10 milhões de euros com vista a fornecer equipamentos agrícolas aos agricultores.

Com a finalidade de reduzir o êxodo rural com financiamento da China Taiwan várias  senzalas (casas de agricultores) nas antigas empresas agrícolas estão a ser reabilitadas em São Tomé e Príncipe.

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) concedeu igualmente dezenas de milhares de euros que estão a ser investidos na reabilitação de pistas rurais e infraestruturas de apoio ao setor agrícola visando o aumento da produção e da produtividade no  arquipélago.

-0- PANA RMG/TON 13agosto2014

13 Agosto 2014 18:02:51


xhtml CSS