FAO alerta para crise alimentar no Sudão do Sul

Nairobi, Quénia (PANA) – A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) advertiu dum risco da crise alimentar e nutricional maior no Sudão do Sul, onde três milhões 700 mil pessoas estão confrontadas com níveis de insegurança alimentar de emergência.

A FAO lançou consequentemente um apelo para se disponibiizar 77 milhões de dólares americanos para uma ajuda alimentar e um apoio aos meios de subsistência para as populações afetadas pela crise, enquanto os preços dos produtos de primeira necessidade registam um aumento associado a penúrias.

Agências da Organização das Nações Unidas e (ONU) e Organizações Não Governamentais (ONG) revisaram um plano de intervenção  de emergência mas precisam  dum total de um bilião 270 milhões de dólares americanos para fazer face às necessidades humanitárias de emergência durante a primeira metade de 2014.

Cerca de sete milhões de pessoas estão expostas a um certo nível de insegurança alimentar, nesta nação que obteve a sua independência apenas em 2012.

« O Sudão do Sul já  é palco duma das mais vastas operações humanitárias do mundo devido a confrontos e a situação está a deteriorar-se rapidamente », declarou o chefe da representação da FAO neste país, Sue Lautze, num comunicado transmitido esta quinta-feira à PANA em Nairobi (Quénia).

Mais de 870 mil sul-sudaneses fugiram  das suas casas nestas últimas seis semanas depois de os confrontos eclodirem na capital, Juba, em dezembro último antes de se alargar ao leste e ao norte do país.

Estes deslocamentos perturbaram seriamente o ciclo agrícola e a situação de insegurança alimentar  prevalecente vai exacerbar-se se os agricultores perderem a principal época das sementes que se inicia em março próximo, advertiu a FAO.

-0- PANA DJ/SEG/FJG/TBM/IBA/FK/DD 06fev2013

06 Fevereiro 2014 21:30:37


xhtml CSS