Expostas atrocidades de guerra no Mali e na RD Congo na sede da UA em Addis Abeba

Addis Abeba, Etiópia (PANA) - Uma exposição das atrocidades de guerra no norte do Mali e na República Democrática do Congo (RDC) foi inaugurada quarta-feira na grande sala da nova sede da União Africana (UA) em Addis Abeba, pelo comissário para a Paz e Segurança da UA, Ramtane Lamamra.

Co-organizada pela Organização Não Governamental (ONG) internacional OXFAM e pela Comissão da UA (CUA), a exposição mostra grandes fotos de mulheres e crianças fugindo da guerra com pacotes de roupa na cabeça  em estradas conducentes ao refúgio.

Em grandes quadros contendo numerosas fotos, o público poderá igualmente ver imagens que mostram a vida diária em campos de refugiados e a destruição dos mausoléus muçulmanos no norte do Mali por islamitas.

Numa outra imagem, pode ver--se um combatente do movimento congolês rebelde M23 em fação com arma suspensa à bandoleira.

Não longe de lá, num quadro uma foto mostra um veículo todo terreno transportando elementos rebeldes do Movimento Nacional de Azawad (MNLA, no norte do Mali), segundo a legenda da foto.

"As imagens no leste da RD Congo são bastantes eloquentes. Elas traduzem o drama que vivem as populações. Não há melhor testemunho para sensibilizar a opinião do que estas fotos. A  RD Congo é ao mesmo tempo um país em curso de saída de conflito e um país em conflito", lamentou, durante a inauguração da exposição, o Congolês Emmanuel Kabengele da Rede Nacional para a Reforma do Setor de Segurança e Justiça (RRSSJ).

Vindo de Gao, no norte do Mali, para testemunhar sobre a situação no norte do país ocupado, a cerca de 10 meses, por grupos islamitas, Abdoul Aziz Ag Alwaly da ONG Tassaght descreveu populações aflitas e, doravante, privadas de abastecimento de produtos de primeira necessidade.

"As imagens que vêem dão uma visão do rumo das populações no norte do Mali. Os que podiam fugir fizeram-no, mas a maior parte da população ficou no local. Hoje, há emergência para ajudar estas pessoas bloqueadas no norte do Mali", insistiu.

Para Irungu Houghton, diretor das políticas pan-africanas na Oxfam, a exposição, que dura até a 29 de janeiro e segue-se à XX Cimeira da UA, vai permitir sensibilizar os decisores africanos e o público às consequências dos conflitos armados.

"As situações na RD Congo e no Mali ilustram a realidade dos conflitos armados, as suas consequências sobre os povos. Intervenhamos portanto para a paz", disse o responsável da OXFAm, co-organizador deste evento denominada "Histórias Vindas da RD Congo e do Mali. Mostrar as Situações de Resiliência face ao Conflito".

-0- PANA SEI/JSG/IBA/MAR/DD 25jan2013

25 Janeiro 2013 11:10:32




xhtml CSS