Exportações cabo-verdianas aumentam 37,6 porcento

Praia, Cabo Verde (PANA) - As exportações cabo-verdianas cresceram 37,6 porcento em 2011 em relação ao ano anterior, segundo os dados de comércio externo apurados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) do arquipélago.

Por sua vez, as importações e as reexportações aumentaram respetivamente 21,5 porcento e 29,2 porcento, no ano passado, em relação a 2010, enquanto o défice da balança comercial aumentou 20,4 porcento e a taxa de cobertura melhorou 0,9 porcento.

O INE constatou ainda que o período 2010-2011, por zonas económicas, registou uma evolução positiva no volume das exportações de Cabo Verde para todas as zonas económicas.

A Europa continua sendo o maior cliente de Cabo Verde, representando 94,1 porcento do total das exportações, com a Espanha a destacar-se entre os principais clientes de Cabo Verde com cerca de 66,6 porcento do total das exportações em 2011 (70,7 porcento do total da zona económica em que se insere).

As exportações cabo-verdianas para este país tiveram uma variação positiva de cerca de 61,9 porcento, comparativamente a 2010.

Portugal posiciona-se em segundo lugar na estrutura das exportações de Cabo Verde com 15,7 porcento do total, apesar de ter descido 9,2 porcento em 2011, relativamente ao ano anterior, o que, em termos de evolução, representou uma queda de 8,7 porcento.

Entre os produtos mais exportados por Cabo Verde em 2011 estão as conservas de pescado (44,5 porcento do total) e os peixes moluscos e crustáceos que aparecem em segundo lugar com 37,8 porcento.

Em termos de evolução, os dois produtos cresceram respetivamente 57,1 porcento e 28,2 porcento relativamente ao ano anterior.

Os vestuários, os calçados, os desperdícios e as sucatas tiveram também, em 2011, uma evolução positiva de 24,8 porcento,  5,1 porcento e 38,2 porcento respetivamente, enquanto as exportações de bebidas alcoólicas baixaram 10,1 porcento em relação a 2010.

Para as importações, o continente europeu continua o principal fornecedor de Cabo Verde com 81,7 porcento do total registado em 2011 contra 79,1 porcento do ano anterior, e com uma variação positiva de 25,4 porcento.

Nos restantes continentes, a Ásia é o único com variação negativa (-0,5 porcento), tendo o peso do total das importações daí provenientes passado de 9,4 porcento em 2010 para 7,7 porcento em 2011.

No mesmo período, a América e África viram as suas exportações para Cabo Verde aumentar respetivamente 13,4 porcento e 12,1 porcento face a 2010.

O peso das importações provenientes dos dois últimos continentes foi de 8,0 porcento para o americano e 1,7 porcento para o africano.

Segundo o INE, Portugal em 2011 consolidou a sua liderança entre os fornecedores de Cabo Verde, com 39,0 porcento do total das importações cabo-verdianas (47,8 porcento na zona económica em que se insere), apesar de ter perdido 6,5 pontos percentuais em relação ao ano anterior (45,5 porcento) à frente dos Países Baixos, com 15,6 porcento.

Os países destacados pelo INE foram os principais clientes de Cabo Verde em 2011 e tiveram todos evolução positiva no volume das suas exportações para Cabo Verde, embora Portugal (4,2 porcento) e Brasil (4,7 porcento) tenham alcançado as taxas mais baixas.

O peso dos 10 maiores produtos importados em 2011 atingiu 61,7 porcento do total das importações desse ano (contra os 56,5 porcento alcançados por esses mesmos produtos no período homólogo).

-0- PANA CS/IZ 20fev2012

20 february 2012 15:23:15


xhtml CSS