Estudo revela redução acentuada de criminalidade em Cabo Verde

Praia, Cabo Verde (PANA) – A criminalidade diminuiu de maneira acentuada no segundo trimestre em todo território de Cabo verde, revela um estudo divulgado sexta-feira na cidade da Praia e a que a PANA teve acesso no local.

O estudo indica esta baixa de criminalidade com realce para a ilha da Boa Vista onde se registou uma redução de 50 porcento, no Sal com um decréscimo de 24 porcento e na capital, Praia, com menos 11 porcento.

Denominado “Estudo de Seguimento sobre a Violência e criminalidade”, o documento, elaborado pela empresa Afro-sondagem tem como objetivo avaliar o desempenho do Plano Estratégico de Segurança Interna (PESI), através do aferimento da evolução da perceção da (in) segurança no seio da população.

De acordo com uma fonte responsável pela elaboração do estudo, a diminuição da criminalidade deve-se à melhoria da atuação da força policial que tem agido com maior rapidez.

O estudo sustenta que o resultado positivo que se vem obtendo na luta contra a criminalidade resulta do resforço orçamental e de recursos humanos por forma a qualificar os policiais para que possam atuar com maior sentido de responsabilidade junto da população.

Falando no ato de apresentação do estudo, cofinanciado pelo Ministério da Administração Interna (MAI) e pelo Escritório das Nações Unidas contra a Droga e a Criminalidade Monitorizar (ONUDC), a  ministra titular do MAI, Marisa Morais, defendeu tratar-se de um “trabalho exemplar”, uma vez que, frisou, irá permitir ao Governo elaborar, com base na informação, “uma arma estratégica e fundamental para uma gestão eficaz”.  

“Com este processo, temos procurado, além da informação quantitativa com base na estatística, também a informação qualitativa, visando a avaliação do trabalho que está a ser feito pelos polícias e os programas de capacitação de intervenção que estão a ser aplicados nos diversos bairros”, vincou Marisa Morais.

Ao manifestar o seu regozijo para com a diminuição da criminalidade e da violência que se regista no país em 2013, a governante salientou que os dados referentes às estatísticas da Polícia e do MAI não se preocupam apenas com a “segurança objetiva”, mas também com a “segurança subjetiva” ao querer saber como o cidadão se sente em relação ao seu local de residência.

A titular do MAI realça que o desafio do Governo não é apenas combater a criminalidade, mas fazer também com que as pessoas, não só os cidadãos nacionais como os turistas que procuram o arquipélago cabo-verdiano, se sintam mais seguras e possam fazer o seu dia-a-dia com confiança e tranquilidade.

Também a representante das Nações Unidas em Cabo Verde, Ulrika Richardson-Golinski, destacou, no ato de apresentação do estudo, que o combate à criminalidade e à violência só poderá ser eficiente se conduzido numa abordagem que envolva diversas instituições e numa resposta coordenada de prevenção a nível das localidades.

“As estratégias bem planeadas não só previnem o crime e a vitimização, como também promovem a segurança comunitária contribuindo para um pleno gozo dos direitos humanos e o desenvolvimento sustentável dos países”, realçou.

O estudo apresentado hoje é o segundo de género elaborado no quadro da implementação do Plano Estratégico de Segurança Interna (PESI), pelo MAI sobre a criminalidade e a insegurança, dois fenómenos que, nos últimos anos, vinham ganhando proporções alarmante em Cabo Verde, com realce para o seu principal centro urbano, a cidade da Praia.

-0 – PANA  CS/DD 27jul2013

27 Julho 2013 10:36:00


xhtml CSS