Estados Unidos esperam transição pacífica do poder na Côte d'Ivoire

Abidjan, Côte d'Ivoire (PANA) – O Presidente americano, Barack Obama, exprimiu, numa declaração sobre a violência pós-eleitoral na Côte d'Ivoire, o seu desejo de uma transição pacífica do poder para o Presidente eleito Alassane Ouattara.

Na sua declaração transmitida quinta-feira à PANA, Obama afirma «que é tempo para o antigo Presidente Laurent Gbagbo  ter em conta  a vontade do seu povo e entregar pacíficamente o poder a Alassane Ouattara.»

«Os esforços do ex-Presidente Laurent Gbagbo de se agarrar ao poder à custa do seu próprio país constitui uma violação dos direitos universais do seu povo e da democracia que a Côte d'Ivoire merece», continuou o Presidente americano.

Num outro registo, Obama indica que o seu país está profundamente preocupado pela escalada da violência e pelo agravamento da crise humanitária e económica bem como pelo seu impacto sobre a Côte d'Ivoire e os países vizinhos.

«Condeno firmemente as violências odiosas contra civis não armados na Côte d'Ivoire», disse Obama, acrescentando estar "particularmente triste pelas mortes sistemáticas de civis desarmados cometidas durante manifestações pacíficas, entre cujas vítimas figuravam muitas mulheres, incluindo as abatidas nas marchas de apoio ao Presidente eleito Alassane Ouattara".

Os dois protagonistas da crise pós-eleitoral ivoiriense, Laurent Gbagbo e Alassane Ouattara, ambos reivindicando vitória nas eleições presidencias de 28 de novembro passado, foram convidados para uma reunião de alto nível convocada pela União Africana (UA), esta quinta-feira, em Addis Abeba (Etiópia), para lhes apresentar «propostas vinculativas» para pôr fim à crise.

Alassane Ouattara deslocou-se pessoalmente à Etiópia, mas Laurent Gbagbo preferiu enviar o presidente do seu partido, a Frente Popular Ivoiriense (FPI), Pascal N'Guessan, e o seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Alcides Djédjé.

-0- PANA BAL/TBM/IBA/CCF/IZ 10março2011

10 Março 2011 23:07:39




xhtml CSS