Estados Unidos chamados a fazer esforços para proteger civis em

Darfur Dakar- Senegal (PANA) -- Uma Organização Não Governamental (ONG) internacional, África Acção, apelou quinta-feira aos Estados Unidos da América para "redobrarem de esforços diplomáticos com vista ao envio imediato de uma força da manutenção da paz sob a tutela da Organização das Nações Unidas (ONU) a fim de proteger a população de Darfur (oeste sudanês)", indica um comunicado da mesma instituição a que a PANA teve acesso.
No comunicado, África Acção indica que as negociações entre os rebeldes e o governo do Sudão, que terão lugar sábado na Líbia, constitui uma etapa importante do processo da reconciliação política susceptível de favorecer uma operação eficaz de manutenção da paz A ONG acrescenta que o boicote pelo Movimento Justiça e Igualdade (MJE) e por seis outros grupos rebeldes deste encontro é uma ameaça a estas negociações.
"Sem pressões constantes sobre todas as partes pelos Estados Unidos e pela comunidade internacional, as negociações na Líbia não vão levar à paz tão almejada", lê-se na nota.
"A comunidade internacional deve tirar as lições do acordo político de Maio de 2006", declarou Marie Clarke brill, directora interina da África Acção, sublinhando que "longe de ser prioridades que se excluem mutuamente, a manutenção da paz e um processo de paz político devem caminhar de mãos dadas".
Brill lembrou que a violência atingiu um nível muito elevado nestas últimas semanas, fazendo várias vítimas entre civis e trabalhadores humanitários na sequência de assaltos contra as cidades e os campos de refugiados na região oeste e sul de Dafur.
Consciente de que vai levar um tempo antes de as negociações políticas progredirem, a África Acção insistiu na urgência da implementação da Resolução 1769 do Conselho de Segurança (CS) da ONU que prevê o desdobramento de uma operação de manutenção da paz dirigida pela própria ONU.
Brill alegou que o governo sudanês faz tudo para atrasar o processo de paz ou enfraquecer as capacidades operacionais da força e reduzir o seu mandato.
A África Acção indicou ainda que os civis em Darfur depositam cada vez mais a confiança nos soldados da União Africana, na sequência dos recentes acontecimentos, inclusive a destrução da cidade de Haskanita, no sul de Darfur, pelas forças governamentais.
"Para que esses soldados possam fazer correctamente o seu trabalho, a população de Darfur deve sentir-se protegida por eles", lê-se no comunicado.

25 Outubro 2007 21:01:00




xhtml CSS