Esposa de jornalista detido no Níger pede ajuda de França

Paris- França (PANA) -- A esposa do director da estação privada "Rádio Saraounia" e correspondente da Rádio França Internacional (RFI) no Níger, Moussa Kaka, detido há 243 dias neste país, pediu terça-feira em Paris a ajuda das autoridadas francesas para a libertação do seu marido.
"Exorto as autoridades francesas a ajudar-nos para que Moussa seja libertado o mais cedo possível.
Porque Moussa não fez nada, todo o mundo sabe", declarou Jamila Souley Kaka durante uma conferência de imprensa organizada no gabinete da ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF) em Paris.
Jamila Souley, jornalista igualmente e que dirige actualmente a Rádio Saraounia na sequência do aprisionamento do seu marido, denunciou a campanha de perseguição e de difamação do seu marido orquestrada pelas autoridades nigerinas e noticiada pela imprensa pública.
Descrevendo as condições de detenção do seu marido, indicou que Moussa Kaka "suporta o seu encarceramento o melhor que pode, mas não é fácil viver numa prisão em África.
Ele está detido com 13 outras pessoas numa cela de 12 metros quadrados".
O secretário-geral da RSF, Robert Ménard, lembrou que não havia dúvidas sobre a inocência do jornalista e instou as autoridades francesas a trabalhar para a libertação de Moussa Kaka "como actuaram para Thomas Dandois e Pierre Creisson", jornalistas da cadeia de televisão franco-alemã "Arte", encarcerados em finais de Dezembro de 2007 no Níger antes de serem libertados um mês mais tarde sob pressão de Paris.
Moussa Kaka está detido desde 20 de Setembro de 2007 em Niamey e foi inculpado por "cumplicidade de conspiração contra a autoridade do Estado".
Ele é acusado de ter mantido contactos telefónicos com um chefe da rebelião tuaregue do Movimento dos Nigerinos para a Justiça (MNJ), no norte do país, e corre o risco de cumprir prisão perpétua.

21 Maio 2008 10:50:00




xhtml CSS