Espanha financia combate contra pobreza em Angola

Luanda- Angola (PANA) -- A Espanha disponibilizou 40 milhões de euros a fundo perdido para ajudar o governo angolano a implementar a sua estratégia de combate contra a pobreza, soube-se quarta-feira em Luanda de fonte oficial.
Este compromisso do governo espanhol consta do relatório da VI sessão da Comissão Bilateral realizada em Madrid em Setembro último e cujos resultados acabam de ser revelados à imprensa.
A reunião foi a primeira do género depois do fim da guerra civil há quatro anos em Angola e serviu para balancear as acções aprovadas no encontro anterior para o período 2001-2004 e perspectivar a cooperação referente a 2005-2008.
Para os próximos anos, as partes decidiram actuar para aumentar a capacidade humana com vista a uma maior cobertura das necessidades básicas, bem como o reforço das instituições sociais no contexto da governação democrática e participativa em Angola.
Elevar as potencialidades económicas para a aumentar o tecido económico e empresarial consta igualmente dos objectivos considerados prioritários para os próximos anos.
Na reunião de Madrid, ambas as partes manifestaram as suas preocupações relativamente ao "modus operandi" da ajuda não reembolsável espanhola, ao abrigo da qual são executadas as acções aprovadas pela Comissão Bilateral.
Angola manifestou o interesse de ver o alargamento da cooperação espanhola na sua área de acção, sugerindo, numa primeira fase, a sua extensão para a província do Bié (centro) que deste modo se juntaria às de Luanda, Malanje (norte), Benguela e Huambo (centro).
De igual modo, sugeriu que se adoptem mecanismos que permitam um melhor acompanhamento das acções/projectos de cooperação, sobretudo os executados pelas Organizações não Governamentais espanholas.
Por seu lado, a Espanha sugeriu a adopção de medidas práticas para a parte angolana assegurar o desalfandegamento em tempo oportuno dos bens e equipamentos importados para projectos executados no âmbito da cooperação bilateral, bem como garantir a sua utilização para os fins a que se destinam.
A delegação angolana nas negociações de Madrid foi conduzida pela vice-ministra das Relações Exteriores para a Cooperação, Irene Alexandre Neto, e a espanhola pela secretária de Estado da Cooperação Internacional, Leire Pajín Iraola.

12 Outubro 2005 22:09:00


xhtml CSS