Escultor congolês representa África Central no bienal de Pequim

Kinshasa- RD Congo (PANA) -- Um artista escultor congolês, Alfred Liyolo Mpuanga, foi escolhido pelas autoridades chinesas a fim de representar a África Central no Bienal de Pequim (China), uma manifestação artistica de carácter universal, a decorrer de 7 a 15 de Julho corrente nesta metrópole asiática.
O artista, que deu este anúncio, deixa o seu país terça-feira rumo à capital chinesa.
Mpuanga disse que vai apresentar como obra em competição "Cacofonia" feita no início do ano em curso e que representa uma personagem sentada com cabeça entre as mãos e rodeado por pequenos pássaros portadores cada de um ramo.
Segundo o autor, "Cacofonia" simboliza o dinamismo do povo congolês que, em vês de ser abalado pelo desespero, mantém pelo contrário uma fé profunda nas possibilidades de reconstrução do seu país graças a um trabalho comum.
A RDC, que Liyolo compara com um país de "construtores", é realmente capaz de se transformar numa grande potência política, industrial e cultural, com base em valores como o amor pela pátria e pelo próximo, o diálogo, a tolerância, a escuta individual e colectiva e o trabalho.
À semelhança dos Estados Unidos de América, a RDC podera buscar a sua força dos seus recursos humanos e naturais fortemente diversificados, frisou o artista.

01 Julho 2008 21:59:00




xhtml CSS