Enviados africanos discutem obstáculos ao comércio no continente

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- Os diplomatas africanos acreditados na União Africana (UA) estudam segunda-feira a maneira de harmonizar a fiscalização e os outros procedimentos aduaneiros e retirar os obstáculos ao comércio dentro do continente.
O encontro de dois dias do Comité dos Representantes Permanentes (COREP), presidido pelo pelo embaixador da República do Congo em Addis Abeba e presidente do COREP, Raymond Serge Bale, examina o relatório sobre a harmonização dos procedimentos aduaneiros nas zonas de trânsito, importações e exportações dos Estados membros da UA.
Este encontro ocorre antes da cimeira dos chefes de Estado e de governo da UA prevista para 29 a 30 de Janeiro a fim de analisar os relatórios submetidos pelo painel dos peritos, reunidos para examinar os documentos recebidos de vários grupos de trabalho, incluindo das reuniões ministeriais.
"Precisamos da boa vontade dos Estados para implementar as decisões tomadas durante a reunião", disse o embaixador Bale durante o seu discurso de abertura.
Os embaixadores africanos, que se reúnem para estabelecer as bases duma série de questões políticas e económicas que afectam a África, vão também estudar vários relatórios apresentados e seleccioná-los para estudar as formas e os meios de desenvolver o comércio.
Os enviados devem examinar as parcerias estratégicas com as economias de várias regiões, nomeadamente o Médio e o Extremo Orientes e os Estados caraíbas.
Citaram diferenças nos procedimentos de pagamento aduaneiros na Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), na Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e no Mercado Comum para a África Oriental e Austral (COMESA), assim como nos restantes blocos regionais.
Os ministro africanos do Comércio e Indústria reuniram-se em Addis Abeba, capital etíope, de 16 a 17 de Janeiro para discutir formas e meios de harmonizar os procedimentos aduaneiros no seio dos grupos económicos regionais, para ultrapassar as complexidades encontradas nas exportações e importações dos bens e serviços.
A reunião discutiu também os procedimentos aduaneiros e a regras de origem, que causam conflitos entre os parceiros comerciais, que se acusam mutuamente sempre de violações.
Segundo os peritos, a harmonização dos procedimentos aduaneiros vai facilitar os problemas relativos ao trânsito de bens destinados aos outros países e aumentar o acesso aos produtos africanos em todo continente.

22 Janeiro 2007 21:12:00




xhtml CSS