Encerrada cimeira de líderes africanos em Sirtes

Sirtes- Líbia (PANA) -- Os chefes de Estado e de governo africanos encerraram terça-feira a quinta Assembleia ordinária da União Africana (UA) em Sirtes depois de dois dias de deliberação à porta fechada sobre uma série de questões continentais e mundiais.
Relativamente à questão dum governo continental proposto pelo Presidente líbio, coronel Muamar Kadafi, a cimeira decidiu submetê-la para outros debates por ocasião da próxima cimeira da UA prevista para Janeiro de 2006 em Addis Abeba (Etiópia), indicaram fontes próximas da reunião.
A proposta do Presidente senegalês Abdoulaye Wade para um financiamento alternativo da UA foi também adiada para a cimeira de Addis Abeba.
A UA introduziu uma reunião bi-anual de chefes de Estado africanos para garantir um seguimento mais rápido das decisões e programas, ao contrário da sua predecessora - a Organização de Unidade Africana (OUA) - que se reunia uma vez por ano.
Segundo as fontes, os chefes de Estado aceitaram todas as recomendações das cerca de quarenta que lhes foram submetidas, mas não aprovaram nenhuma.
Eles confirmaram a nomeação do antigo secretário-geral da OUA Salim Ahmed Salim como mediador da UA para o conflito armado em Darfur (oeste do Sudão).
Segundo fontes seguras, esta decisão provocou a retirada da delegação tchadiana da reunião em sinal de protesto.
O Presidente nigeriano Olusegun Obasanjo vai continuar a assumir a presidência em exercício da UA até a cimeira de Addis Abeba, em conformidade com uma decisão da cimeira de chefes de Estado realizada em Abuja (Nigéria) em Janeiro passado.
Várias delegações começaram já a deixar a Líbia antes da cerimónia oficial de encerramento prevista para esta noite.

05 Julho 2005 20:53:00




xhtml CSS