Empresa de ouro ameaça despedir 200 a 250 trabalhadores na Mauritânia

Nouakchott, Mauritânia (PANA) - A Tasiast Mauritânia Limited SA, subsidiária da empresa canadiana Kinross, que explora uma mina de ouro no norte da Mauritânia, anunciou quarta-feira à noite o despedimento iminente por "razões económicas"  de 200 a 250 trabalhadores.

"Esta decisão difícil é um imperativo de gestão, devido a graves dificuldades económicas vividas na mina de ouro Tasiast", explica  a empresa de mineração de ouro numa declaração.

Os detalhes do projeto estão ainda por finalizar, mas a decisão foi objeto de uma notificação à Inspeção do Trabalho e aos delegados do pessoal.

A medida de despedimento coletivo vai afetar tanto o pessoal da mina como os trabalhadores da sede, em Nouakchott, através de "um processo em conformidade com as disposições do Código do Trabalho", indica a empresa.

O declínio acentuado e a volatilidade dos preços do metal amarelo no mercado mundial estão na origem da implementação de um programa de redução de custos de produção.

Assim, a Tasiast Mauritânia Limited (TML) renunciou à expansão da sua fábrica de processamento de ouro, cujo objetivo foi aumentar a capacidade para 38 mil toneladas por dia.

Em abril de 2013, recorde-se, a Tasiast  havia já despedido 280 trabalhadores pelas mesmas razões.

-0- PANA SAS/DIM/IZ 13ago2015

13 Agosto 2015 14:24:12


xhtml CSS