Egipto nega apoio à União dos Tribunais Islâmicos na Somália

Addis-Abeba- Etiópia (PANA) -- O Egipto rejeitou segunda-feira informações segundo as quais apoia a União dos Tribunais Islâmicos que luta contra o Governo federal de transição na Somália.
Reagindo à publicação dum relatório das Nações Unidas, o Egipto, por intermédio da sua Embaixada na Somália, negou igualmente ter violado o embargo da ONU sobre as armas imposto ao Governo somalí.
O Ministério egípcio dos Negócios Estrangeiros declarou que o seu país está chocado com as alegações totalmente falsas de alguns peritos ocidentais.
Afirmou que estas informações refletem a ignorância sobre os factos e a política do Egipto a favor da Somália.
Para além de enviar uma objecção oficial à ONU e ao Comité de Sanções da Somália, o Ministério egípcio dos Negócios Estrangeiros apresentou provas que demonstram a neutralidade da política do seu país para com a Somália.
Notou, por outro lado, que o Egipto deseja o regresso da segurança e da estabilidade em todo o terrotório somalí o mais cedo possível.
"Nestas discussões com as diferentes partes, o Egipto defendeu a necessidade de prosseguir com o diálogo entre os protagonistas e evitar o uso das armas para impor os seus pontos de vista", declarou um porta-voz da Embaixada do Egipto na Somália.
"O Egipto reafirmou em várias ocasiões a sua dedicação total às resoluções do Conselho de Segurança da ONU e à legitimidade internacional relativa à Somália", acrescentou.

21 Novembro 2006 11:32:00




xhtml CSS