Dono de radiotelevisão condenado no Egipto

Cairo- Egipto (PANA) -- O proprietário duma estação de radiotelevisão egípcia foi condenado a pagar uma multa de 150 mil libras egípcias (27 mil dólares americanos) pelo Governo por ter exercido as suas actividades sem licença, revelaram fontes judiciais.
Nader Gowhar foi condenado depois de o Governo se ter irritado na sequência da difusão pela "Cairo News Company" (CNC) de algumas imagens duma manifestação organizada no país e registada pela "Al Jazeera".
As imagens filmadas pela Al Jazeera monstravam manifestantes que pisovam um grande retrato do Presidente Hosni Moubarak.
Gowhar foi condenado a pagar uma multa de 150 mil libras egípcias (27 mil dólares americanos) "por posse dum equipamento de comunicação satélite e exploração duma rede sem permissão".
Ele explicou que no início do ano o seu organismo tentou obter uma licença do Ministério da Informação, mas que este recusou.
As imagens mostram uma manifestação popular de massa organizada em Abril passado em Mahalla Al Kubra, onde trabalhadores duma fábrica nacional estavam em greve.
Os dois dias de protesto causaram a morte de três pessoas e fizeram mais de 150 feridos.
O Egipto está, no Médio Oriente, à frente duma cruzada para o controlo dos organismos de rádio e televisão, nomeadamente os baseados e difundidos no país.
A CNC é um outro exemplo da maneira como os jornalistas são tratados no país, observou Gamal Eid, da organização "Arabic Network for Human Rights Information" (ANHRI).
De acordo com ele, nenhum jornalista egípcio podia sentir-se em segurança enquanto estes géneros de penas são infligidas aos profissionais da imprensa por fazer o seu trabalho.

28 Outubro 2008 12:10:00




xhtml CSS