Discurso do Presidente senegalês em destaque na imprensa

Dakar- Senegal (PANA) -- Os jornais senegaleses apreciaram diversamente a mensagem do Presidente da República, Abdoulaye Wade, por ocasião do Ano Novo.
nquanto o diário pró-governamental "Le Soleil" realça as medidas anunciadas pelo chefe do Estado para reduzir o custo de vida, o jornal privado "L'As" nota o mutismo deste último sobre os incidentes que fizeram um morto em Kédougou, no sudeste do país.
O L'As desejava ouvir o Presidente Wade sobre "a perseguição de que são alvos os jornalistas, a rebelião dirigida por imames contra a dupla facturação da energia eléctrica, os violentes confrontos entre as forças de ordem e jovens de Kédougou, assim como as tensões sociais em Kaolack" (centro-oeste do país).
Por seu lado, o jornal privado "Sud Quotidien" insiste igualmente que o Presidente falhou, comentando que "todos os temas quentes e preocupantes foram intencionalmente ocultados no discurso do chefe de Estado senegalês".
"É a mesma coisa com as instituições da República desrespeitadas em 2008, mas das quais Wade não falou", deplora o Sud Quotidien, notando que o Presidente decidiu ignorar a reflexão levada a cabo por 42 por cento dos seus concidadãos no quadro das Reuniões Nacionais.
À semelhança dos outros jornais privados, o "Le Quotidien" constatou os silêncios de Wade sobre as questãos que os Senegaleses lhe esperavam.
O Le Quotidien ironiza que Wade prometeu a realização de "três grandes projectos sem anunciar o mínimo financiamento".

03 Janeiro 2009 12:48:00


xhtml CSS