Discriminação no trabalho desfavorece mulheres africanas - ONU

Nova- Iorque, Estados Unidos (PANA) -- A ONU declara que "a discriminação baseada no sexo" trava os esforços das mulheres africanas nas empresas, de acordo com o seu novo relatório intitulado "Lições aprendidas dos sucessos de mulheres empresárias africanas".
"O apoio limitado do Governo, os ambientes sociais negativos, a discriminação institucional e as desigualdades entre os sexos" desfavorecem as mulheres africanas, deplorou o relatório elaborado pela Comissão Económica das Nações Unidas para África (CEA) e cuja cópia foi transmitida à PANA terça-feira em Nova Iorque.
O documento sublinha a necessidade para os governos nacionais de formular políticas e programas que interrompam esta tendência com vista a permitir às mulheres gozarem do "fruto do seu trabalho".
"Se as nações africanas desejam atingir os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), um conjunto de objectivos destinados a reduzir os males sociais, como a pobreza até 2015, os governos devem resolver estas questões", lê-se no relatório.
Fontes próximas da CEA indicam que o relatório se baseou nas experiências de nove mulheres empresárias seleccionadas ao acaso no Botswana, no Burundi, na Etiópia, no Malawi, na Nigéria, na África do Sul e no Uganda.
O documento sublinha claramente que "estas mulheres partilham a capacidade de correr riscos, a criatividade, o dinamismo, o optimismo e a sociabilidade".
As conclusões deste relatório serão debatidas durante um atelier de dois dias a decorrer segunda-feira próxima na sede da CEA em Addis Abeba, na Etiópia.

19 Junho 2007 20:39:00


xhtml CSS