Diretora-geral do FMI advoga tarificação rápida de carbono no mundo

Dar es-Salaam, Tanzânia (PANA) – A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou este domingo em Dar es-Salaam que a sua “principal mensagem é fixar o preço do carbono e fazê-lo agora”.

Num comunicado do FMI transmitido este domingo à PANA na capital tanzaniana, Lagarde declarou que o Acordo de Paris sobre a Mudança Climática constitui um progresso decisivo.

A DG do FMI aludia ao Acordo Mundial concluído sábado último em Paris, na França, qualificando-o de « progresso decisivo na resolução do problema mundial constituído pela mudança climática no século XXI”.

Acrescentou que os "Governos devem agora traduzir as palavras em atos,  prorizando particularmente as políticas que tornarão efetivas as promessas feitas sobre a redução.

"Por isso, a minha principal mensagem relaciona-se com a fixação do preço do carbono e fazê-la agora. A tarificação das emissões de combustíveis fósseis favorece investimentos necessários de fraco teor em carbono e fornece igualmente receitas para salvar pobres, reduzir a dívida e diminuir o fardo de outros impostos sobre famílias e negócios", frisou Lagarde, citada na nota.

Disse ser preciso rapidamente um diálogo sobre a tarificação do carbono e ajudar os Governos a aplicarem esta política vital.

O acordo de Paris é percebido como um protocolo histórico que permitiu a 195 países do mundo chegarem a um acordo universal sobre o clima, lê-se no documento.

-0- PANA AR/MA/ASA/BEH/FK/DD 13dez2015

13 Dezembro 2015 18:43:57


xhtml CSS