Diplomacia francesa solidariza-se com África ocidental

Ouagadougou- Burkina Faso (PANA) -- O ministro francês dos Negócios estrangeiros, Dominique de Villepin, declarou na tarde da quarta-feira em Ouagadougou, que o seu períplo em África deve ser entendido como uma solidariedade da diplomacia do seu país para se buscar uma solução à crise ivoirense.
Intervindo no termo de uma audência de 50 minutos com o presidente burkinabe, Blaise Campaoré, de Villepin disse que a França não pode estar indiferente para com o continente num momento tão difícil.
"Viemos a África para manifestar a nossa boa fé quanto ao futuro desta região", assegurou, afirmando que a França estará sempre ao lado da África, sobretudo nos momentos difíceis.
O chefe da diplomacia francesa, que disse haver uma tomada de consciência por parte de todos os responsáveis desta região quanto as consequências desta crise, fez saber que seu períplo e a compreensão que dela resulta, deverão permitir a Côte d'ivoire reencontrar a estabilidade.
Respondendo a uma pergunta sobre a nova política da França em África, salientou que "é uma política de dever" porque a África está no coração da França.
Nesta perspectiva, citou os exemplos do Madagáscar e dos Grandes Lagos, onde o seu país não ficou de braços cruzados.
É por isso que exortou os dirigentes africanos a trabalhar por forma a levar adiante a amizade franco-africana.
Rejeitou a "afro-indiferença" e insistiu no facto de a França nunca abandonará a África.
O presidente Campaoré regozijou-se com esta visita que traduz o apoio da França num momento em que a Côte d'ivoire, que ocupa um lugar de destaque para o Burkina Faso, se encontra em dificuldades.
"Recebemos uma messagem importante do presidente Gbagbo, uma messagem de amizade para o Burkina Faso, e que manifesta a vontade de caminharmos juntos", regozijou-se, recordando a recente visita a Ouagadougou do ministro ivoirense da Agricultura.
Quanto aos distúrbios cometidos contra os cidadãos burkinabes residentes na Côte d'ivoire, o presidente Campaoré disse estar convicto de que a resolução desta crise permitirá contorná-los.
De Ouagadougou, De Villepin deslocou-se a Bamako, Mali, onde foi recebido esta manhã de quinta-feira pelo presidente Amadou Toumani Touré.
O chefe da diplomacia gaulesa visitará também Libreville, Gabão, e Dakar, Senegal, no quadro do seu períplo por África.

28 Novembro 2002 10:57:00


xhtml CSS