Diálogo social nas Ilhas Maurícias é um exemplo, segundo BIT

Port-Louis- Ilhas Maurícias (PANA) -- O diálogo social tripartido reinante no mundo do trabalho nas Ilhas Maurícias foi citado como um exemplo pelo Bureau international du trabail (BIT) - Gabinete internacional do trabalho - no seu último relatório elaborado pelo o seu Comité sobre o emprego e a política social.
Publicado em finais de Dezembro de 2002, este relatório, cuja cópia foi transmitida à PANA, passa em revista a política social a nível do emprego em zonas francas no mundo.
"Embora ainda limitados, existem alguns exemplos de diálogo social triparido a nível nacional no tocante às estratégias apropriadas para se atrair investimentos direitos estrangeiros, incluindo a zona franca, nas Ilhas Maurícias, na Quénia e na África do Sul", disseram os autores do relatório.
Segundo este documento, as zonas francas - que oferecem incentivos especiais para a captação de investimentos estrangeiros, onde os produtos são transformados para serem reexportados, e que são considerados elementos importantes da globalização - são acompanhados atentamente pelo BIT, desde estes últimos 20 anos.
Lê-se ainda neste relatório que o número de países que dispõem das zonas francas passou de 25 em 1975 à 116 em 2002 e o número de zonas francas de 79 em 1975 à 3000 no ano transacto.
As zonas permitiram a cração de 37 milhões de empregos, dos quais 30 milhões só na China.
Segundo o BIT, as zonas francas são utilizadas pelos governos para captarem investimentos, relançarem o emprego, aumentarem as exportações e gerarem as devisas estrangeiras.
"Para muitos países, as exportações da zona franca apresentam uma parte importante dos rendimentos das exportações, muitas vezes 80 por cento das exportações de mercadorias.
É o caso das Ilhas Maurícias, a China, República Checa, Hongria, Quénia, Filipinas, Malásia, México, Senegal, Tunísia e Vietnam", salientou o relatório.
As zonas francas, segundo os autores, permitiram às economias diversificarem as suas exportações.
No caso das Ilhas Maurícias, atingiram agora os serviços financeiros, após terem utilizado esta estratégia para diversificar as suas exportações de açúcar para os produtos transformados.
(Les zones franches ont, selon les auteurs de ce rapport, permis aux économies de diversifier leurs exportations.
Dans le cas de Maurice, elles ciblent maintenant les services financiers, après avoir utilisé cette stratégie pour diversifier ses exportations de sucre vers les produits manufacturés.
) Ilhas Maurícias são também citadas como exemplo por terem conseguido utilizar a zona franca na criação de um número considerável de empregos, dirigindo-se para uma produção com alto valor acrescido durante estes últimos anos.
Estima-se em 87 mil o número de pessoas que trabalhavam em 2002, nas zonas francas maurícias.

04 Janeiro 2003 11:21:00


xhtml CSS