Dez mil alevins largados numa lagoa das Ilhas Maurícia

Port-Louis- Ilhas Maurícias (PANA) -- Cerca de dez mil alevins foram largados esta semana, pelas autoridades maurícias ligadas à pesca, numa lagoaao Sul da Ilha, elevando assim o número destes para cerca de 530 mil largados desde 1997, constatou a PANA no terreno.
Estas operações visam contribuir para a preservação dos recursos marinhos e garantir o armazenamento de espécies de camarões na lagoa, segundo as autoridades locais ligadas a esta actividade.
Na aldeia costeira de Grand Sable, ao Sul da Ilha, o ministro das Pescas, Sylvio Michel, encontrou-se quarta-feira com pescadores e habitantes da localidade para lhes explicar as razões deste empreendimento nas Ilhas Maurícias.
"Pedimos a vocês para pautem pela preservação dos camarões largadas no mar.
Deixem-nos crescer e repovoarem.
Quando a produção atingir o seu nível importante, poderão então pescá-los", aconselhou-lhes, recordando-lhes que a taxa de sobrevivência dos alevins largados é muito mínima por causa dos predadores no mar.
Segundo oficiais no Centro de pesquisas da pesca em Albion, próximo de Port-Louis, a capital, os técnicos maurícios, que garantem a produção dos camarões, foram formados por peritos japoneses, com ajuda financeira da Agência japonesa de cooperção internacional (JICA).
Estes últimos regressaram ao seu país na última semana.
Recorde-se que, em Albion, os alevins largados são marcados e acompanhados numa base mensal.
"São colectados para experimentãçoes no seu habitat, principalmente na lagoa do Sudeste da Ilha, onde há muitos mangais", soube a PANA.

12 Dezembro 2002 19:26:00


xhtml CSS