Detenção de Saled Ould Hanena faz manchete em Nouakchott

Nouakchott- Mauritãnia (PANA) -- A recente detenção do comandante Saled Ould Hannena, presumível mentor da tentativa de golpe de Estado de 8 de Junho de 2003 e do alegado plano de destabilização de 29 de Setembro de 2004, na Mauritânia, foi largamente comentada pela imprensa mauritaniana esta semana.
Hannena, acusado de conspirar contra o poder do Presidente Maaouya Ould Sid'Ahmed Taya, foi detido sábado em Rosso, na fronteira com o Senegal (200 quilómetros de Nouakchott).
Na sua edição de 13 de Outubro, o semanário independente "Le Calame" destaca o que chamou de "fim da fuga de Saled com uma série de detenções e suspeições" e interroga-se: "será este o último acto?".
Relata as condições da detenção do fugitivo e dá indicações sobre as muitas interpelações e "as acusações de financiamento dos Cavalheiros da mudança" feitas contra Mohamed Ould Haidalla, Ahmed Ould Daddah e Cheikh Ould Horma", três responsáveis da oposição.
Estas acusações "preparam a opinião pública para as detenções destas personalidades", analisa Le Calame.
Na sua edição de 10 de Outubro passado, o diário privado 'Nouakchott-Info' coloca igualmente a mesma pergunta: "Fim duma fuga para Saled Ould Hannena : Uma curtina sobre a tentativa de desetabilização de 8 de Junho de 2003?".
O mesmo jornal faz eco das acusações de "fontes próximas do inquérito" contra responsáveis da oposição.
Para o diário "L'Eveil", a detenção do comandante Saled Ould Hannena é "uma batata quente entre as mãos do poder" e, por isso, indica o diário, "ainda que capital para o regime, ela coloca algumas interrogações".
O jornal refere-se aos casos dos oficiais negro-mauritanianos mortos em 1987 acusados de conspiração e interroga-se se o poder de Nouakchott irá até ao fim desta mesma lógica.
"Quem será o próximo depois da detenção de Saled Ould Hannena?" questiona o "La Tribune".
La Tribune coloca igualmente "muitas outras questões sobre o papel de uns e de outros" neste caso.
Por sua vez, o "L'Authentique" de 11 de Outubro limita-se a anunciar que "após 14 meses de fuga, Hannena é detido".

15 Outubro 2004 18:39:00


xhtml CSS