Desmentida a existência de cólera em Cabo Verde

Praia- Cabo Verde (PANA) -- A directora geral da Saúde pública em Cabo Verde, Conceição Carvalho, desmentiu informações que apontavam a existência de cólera em Cabo Verde, nomeadamente no município de São Domingos, no interior da ilha de Santiago, soube a PANA quinta-feira na cidade da Praia de fonte bem informada.
"Está tudo em vigilância e já houve uma suspeita na semana passada mas felizmente não confirmou laboratorialmente", garantiu Conceição Carvalho, durante uma cerimónia de inauguração de uma Unidade sanitária de Base (USB), numa localidade do Concelho de São Domingos.
A directora geral da Saúde indicou, no entanto, que as autoridades sanitárias cabo-verdianas encontram-se em estado de alerta máxima tanto a nível central como local, por forma a dar uma resposta rápida e eficaz a possíveis casos que venham a surgir no arquipélago.
Conceição Carvalho garantiu que todas as unidades sanitárias do país estão preparadas para fazer o diagnóstico atempado dos casos de cólera e tomar as medidas adequadas para evitar o alastramento de casos dessa doença.
Recorde-se que o governo cabo-verdiano decidiu tomar medidas no sentido de precaver a eventualidade do alastramento no arquipélago da epidemia da cólera que afecta actualmente a Guiné-Bissau, tendo em conta o grande movimento de pessoas entre estes dois países vizinhos.
Em declarações a agência cabo-verdiana de notícias INFORPRESS, o delegado da Saúde pública no município de Praia, Jorge Figueiredo, confirmou que foi instituído um conjunto de acções tendentes à prevenção da entrada dessa doença em Cabo Verde.
Essas acções traduziram-se na criação de duas comissões, sendo uma técnica, constituída pelo delegado de Saúde, director do Hospital "Dr.
Agostinho Neto" na capital, técnicos da epidemologia e directores dos bancos de urgência de vários serviços.
A outra comissão funciona sob a direcção da Delegacia de Saúde da Praia e integra ainda a Câmara Municipal da Praia, a Delegação Escolar e representantes de Organizações Não-Governamentais (ONG).
Outros aspectos evocados por Jorge Figueiredo relaciona-se com a necessidade de melhorar o saneamento básico e aumentar de forma significativa a qualidade da água potável fornecida à população.
Por outro lado, foram criadas a nível local sub-comissões a partir dos centros de saúde que vão intervir sobretudo em actividade de educação sanitária da população em relação à cólera.
Em 1995, Cabo Verde enfrentou uma grave epidemia de cólera que causou várias vítimas mortais em quase todas a ilhas de arquipélago.

02 Janeiro 2003 21:15:00


xhtml CSS