Desbloqueio de negociações inter-sudanesas confiado à XX cimeira da UA em Addis Abeba

Addis Abeba, Etiópia (PANA) – Os chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA), reunidos este domingo em Addis Abeba, na Etiópia, são o único recurso para desbloquear as negociações entre o Sudão e o Sudão Sul que continuam a fracassar sobre três questões, das quais a repartição de receitas petrolíferas.

Segundo um negociador, nem as discussões diretas entre o Presidente sudanês Omar  el-Béchir e o seu homólogo sul-sudanês, Salva Kiir, muito menos as negociações organizadas no seio do Conselho de Paz e Segurança (CPS) da UA permitiram resolver a questão da repartição de receitas petrolíferas e o estatuto dos territórios disputados ao longo da fronteira comum, designadamente Nilo Azul e de Kordofan-Sul, ao longo da.

"Os Sudaneses condicionam a retomada do trânsito petrolífero do Sul pelo seu território à resolução das questões de segurança, nomeadamente os problemas do Nilo Azul e de Kordofan-Sul. Até ao momento, em relação a estes dois pontos, nenhum compromisso foi encontrado", indicou à PANA no anonimato um responsável da UA envolvido nas negociações.

"A nossa esperança é doravante  ver os chefes de Estado convencerem, durante esta cimeira, os seus homólogos el-Béchir (do Sudão) e Salva Kiir (do Sudão-Sul) , a fazerem concessões mútuas. Disto dependem os interesses do Sudão e o Sudão Sul", acrescentou este diplomata muito próximo das negociações inter-sudanesas.

Falando na abertura da XX Cimeira africana, o Secretário-Geral (SG) da Organização das  Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, exortou os dois países a realizarem novos  novos progressos nas negociações.

"O Sudão e o Sudão-Sul realizaram com certeza progressos para resolver questões pendentes. Mas eles devem fazer ainda mais para concluir um acordo global. Estou particularmente preocupado com a situação humanitária desastrosa nos Estados do Nilo Azul e de Kordofan-Sul", deplorou Ki-moon.

O SG da ONU apelou apelo aos líderes dos dois Estados para iniciarem imediatamente negociações a fim de favorecer a assistência humanitária necessária aos civis afetados por este conflito", insistiu o SG da ONU.

As tensões entre o Sudão e o Sudão-Sul bem como outras situações de conflito no continente serão largamente analisadas durante os trabalhos da XX cimeira dos chefes de Estado e de Governo da UA que continuam à porta fechada.

Cerca de 30 chefes de Estado e de Governo participam neste encontro que decorre sob o lema principal "Panafricanismo e Renascimento Africano".

-0- PANA SEI/TBM/IBA/FK/DD 28jan2013

28 Janeiro 2013 12:01:26




xhtml CSS