Deficientes senegaleses reclamam seus direitos na sociedade

Ziguinchor- Senegal (PANA) -- Deficientes motores exortaram o Estado senegalês a implementar uma legislação para que eles possam ter um trabalho adequado na ausência da concessão de fundos pelo governo para o financiamento de actividades geradoras de rendimentos.
Os deficientes esperam igualmente do Estado senegalês a aprovação duma lei que exige as empresas a recrutar uma quota de deficientes no seu pessoal em troca dum alívio fiscal.
Eles deploram também as dificuldades encontradas para acederem aos edifícios públicos construídos sem rampa de acesso, adiantando que sofrem também nos transportes públicos e privados, onde nada foi previsto para facilitar o seu acesso.
Estas queixas foram formuladas por cerca de 20 representantes dos deficientes motores que participam em Ziguinchor, capital da região de Casamança (sul do Senegal), num seminário de formação sobre os direitos das pessoas deficientes.
O encontro, que decorre sob o lema "Os impactos da Defesa dos Direitos dos Deficientes", é organizado pela Associação Nacional dos Deficientes do Senegal.
Segundo o presidente da Associação Nacional dos Deficientes Motores do Senegal, Yatma fall, só um empenho real do Estado ajudaria a resolver este problema ligado à inserção social das pessoas deficientes.
Isso significa que o Estado senegalês deveria conceder diversas vantagens e facilidades fiscais, renunciando a certos impostos e taxas.

14 Outubro 2004 10:49:00


xhtml CSS